quinta-feira, 22 de maio de 2008

Festa do Milho

Lembro-me de quando a Festa do Milho era para o povão. E olha que isso não faz muito tempo não. Naquela época o ingresso de acesso ao Parque de Exposições equivalia ao preço de uma garrafa de cerveja.

Os Shows começavam as 21:00 horas e antes das 22:30 horas já haviam terminado. Quando não estávamos interessados no Show, economizávamos o dinheiro aguardando os portões se abrirem, o que ocorria entre as 22:30 e 00:00 horas. Lá nas barraquinhas do fundão, as “Malvinas”, deixávamos todas nossas economias.

Hoje o acesso do povão ao Parque de Exposições foi restringido pelos preços altos, o valor do ingresso, dos produtos, das bebidas, tudo.

Ao povão restou uma retomada ao passado, onde a festa do milho verdadeiramente começou, na avenida Getúlio Vargas. Ainda bem que, na praça, a festa ficou melhor.

4 comentários:

Manoel Almeida disse...

Bons tempos aqueles, Rusimário, bons tempos...

Lívio disse...

Caro Rusimário, toda festa tem de ir aonde o povo está, não?

Será que a cidade vai consolidar uma festa para os pobres e uma festa para os ricos? Ou já estaria tal festa consolidada?...

Frederico de Sousa disse...

Bons tempos... Muita gente esperava os portões serem abertos depois das 23h. Mas parece que a festa volta mesmo às origens: povo na praça, festa na praça.

Paulo Alex da Silva Carvalho disse...

Com certeza essa festa dicotomizada já está consolidada Lívio.

Os preços estão exorbitantes e nada indica mudança nos anos vindouros. Basta notar que na sexta-feira, dia do show de Ivete Sangalo, as entradas "oficiais" - vendidas na bilheteria - para o parque chegaram a R$50,00. Já ingressos "não oficiais" do paiolão chegaram a custar - nesse mesmo dia e no dia posterior - entre R$80,00 e R$100,00.